Uma dor que dilacera a alma Endometriose.

Como seria minha vida se você existisse?! Em que lugar estaria agora.

4 anos se passaram, mas as batidas do seu coração continuam me acompanhando. Todos os dias eu quase te esqueço, mas fica só no quase, porque só de tentar esquecer já me lembro. Mentalmente em dias como hoje com a dor aflorada e me sentindo sozinha, penso em como seria seus cabelos... será que seriam como os meus cheios de cachinhos dourados ou seriam lisos e negros? Qual seria sua primeira palavrinha e onde seria seu primeiro arranhão, qual seria o seu lugar preferido pra se esconder de sua travessuras? Será que se você se sentisse ameaçado correria para o meu colo?

São coisas que eu nunca vou saber. Nunca vou saber.  Não pensei que o impacto emocional fosse tão avassalador assim mas foi traumatizante, me sinto ansiosa e agitada até hoje.

-Não se preocupe, virá outo. Foi a pior coisas que puderam falar pra mim. O silêncio respeitoso e uma oração cairiam muito bem. É verdade que o tempo ajuda a fechar feridas, mas as cicatrizes são para sempre. O medo de que ocorram novas perdas é um fantasma que persegue quem já vivenciou essa situação. Agora diagnosticada com Endometriose não posso e não consigo confiar novamente no meu corpo.

Há mais de um ano em tratamento, não consigo me restabelecer, não consigo me concentrar. É uma longa jornada regida por mau estar e dor. Sigo agora em direção a 2ª histeroscopia, na verdade tenho adiado bastante em fazer porque me sinto sem forças. Meu médico é um querido, ele entende o quanto me sinto fragilizada com tudo, pensamos que a Endo havia regenerado, mas infelizmente se agravou... Então, é só fé e nada mais, porque fé é a única coisa que não dá e não pode faltar.



Postagens mais visitadas deste blog

Encontro com Deus

Sobre Recuar