Caminhada parte 2

Hoje, enquanto enviava alguns e-mails aos meus queridos clientes me dei conta de onde estou... Me dei conta do que Deus fez, me dei conta mas uma vez do quanto ele me cuidou desde sempre.
Eu acho que as pessoas devem estar cansadas de me ver falar sobre amor; mas é que eu olho para trás, bem lá atrás, lá no comecinho... E eu me lembro de algumas coisas, muitas coisas. Ando meio louca, porque em meio a conversar com as pessoas me vem à mente fatos que me fazem ver que eu nunca estive só. Eu me sentia só, mas só eu nunca fui.
Ontem, enquanto eu lavava a louça e conversava com a Sabrina eu olhava para aquele ralo escorrendo toda sujeira... E eu me lembrava da separação dos meus pais, de como foi, da minha mãe colocando os móveis na calçada e eu sentada olhando para rua com medo do meu pai chegar naquele momento e eles brigarem...  Eu me lembro da minha família sendo destruída, eu me lembro do meu pai chorar arrependido, e da minha mãe não aguentar mais...  Eu me lembro da minha mãe me levar embora e depois o meu pai ir me tomar... Mas eu lembro também deles seguirem a vida deles e eu não caber mais nela. 
Tenho sido constantemente tratada, moldada, arrebentada em minúsculos pedacinhos, para que esse filme que me atormentou durante anos, escorra pelo ralo junto com toda sujeira que eu fui.  Parece besteira, né? Mas essa é a minha besteira.
Hoje eu olho para trás e vejo claramente os momentos onde o senhor colocou a mão, eu vejo tão bem... Quantas vezes eu caí de bicicleta e não era o meu joelho que ralava. Quantas vezes quebrei a cara tendo aprender a crescer sozinha, e não era a minha cara que estava lá... Estive a beira de morrer várias vezes, e ele me salvou todas elas.
Para muitos, isso é simplesmente se esconder atrás de uma religião, é pura máscara, ou qualquer coisa assim. Acredito até que há quem pense que, seguir Jesus era minha ultima opção de vida. Posso falar? -eu gostaria de essa ter sido minha única opção de vida. 
Para liberdade, Ele me libertou...
Ele fez um caminho para mim, a onde eu não poderia ir. Sou obra do seu amor, sou obra de pessoas que um dia passaram e ainda passam pela minha vida e cumprem o ‘IDE’ (MATEUS 28.19). E esse amor que me amou primeiro salva minha vida todos os dias de glória em glória.  
Sou filha dele, ele me molda para que possa um dia fazer parte da sua santidade.  Eu sei que não estou nem perto de fazer sua vontade, nem mereço tal amor, mas sua misericórdia e graça dura para sempre.

A ti senhor dedico está manhã, dedico minha família, meu amigos e este louvor:
“Vou olhar em seus olhos, vou jogar-me em seus braços... como criança me gira no ar. Esse é instante que eu espero, esse é o momento que eu mais quero a hora de te encontrar ‘

Amém!


Postagens mais visitadas deste blog

Encontro com Deus

Sobre Recuar

Uma dor que dilacera a alma Endometriose.