Parabéns para você, mais agradeça aos meus sapatos.


Hoje é o seu dia e que dia mais feliz...
Lembro tanto quando a gente se conheceu; melhor dizendo, quando eu te conheci, quando eu
precisei da sua ajuda por causa do meu scarpin rosa chiclete dentro da câmara fria... Cara
nunca te disse isso, talvez porque era óbvio, mais se você não aparecesse ali naquela hora eu
ia conhecer o chão bem direitinho me cortar em todo aquele gelo e ainda ia fazer um
dramalhão, que é minha cara, é claro! RS. Lembro perfeitamente sua cara de nojo me olhando
de cima a baixo que na hora até pensei: Será que ele quer me ajudar ou cometer um
assassinato?  Na verdade seu olhar não era bem pra mim, nem muito menos pra minha cara
limão azedo; a envergadura da sua testa que não se desfazia por nada, era por causa dos meus
sapatos... Levou-me pra fora e única coisa que falou foi: - o que eu você quer aqui? Tipo meio
que se sentindo o dono do território RS. E eu que só queria um sabor de sorvete, pedi que
você pegasse qlq um pra que eu pudesse sair de lá logo. Não agradeci, não falei com você
depois e você muito menos comigo, mais na minha cabeça sempre vinha àquela situação e eu
te achava o garoto mais estranho do mundo, porque querendo ou não aqueles meninos lá do
nosso trabalha fariam qlq coisa pra me ajudar, e você nem se quer olhou na minha cara, e eu
ficava naquela “hoje eu não to bonita” (na época isso era mega importante pra mim) e quase
surtei com isso, era muito importante pra mim a afirmação das pessoas que eu estava um
boneca, e você não chegou nem perto de qlq elogio, muito pelo contrário parava perto dos
nossos amigos em comum e dizia: -você já viu garota mais fresca do que essa? Que patricinha
nojenta! E ainda completava dizendo que não tinha um pingo de paciência de ficar perto de
mim. E durante toda aquela semana, todos os encontros que tínhamos  em qlq que fosse a
loja era frustrante, porque você não me olhava, não me admirava, nem fazia comentário sobre
meu perfume, nem muito mesmo da cor dos meus sapatos... Meus sapatos tinham tanta
repercussão na loja que foram até proibidos RS e você nunca se manifestou... E eu me
acostumei a não ter elogios de sua parte, me acostumei a falar sobre meu quarto rosa do seu
lado e você sempre se virar como quem não escutou, me acostumei a todo mundo gostar de
você menos eu e o casca dura do 1376. A loja proibiu meus sapatos e passei a usar sapatilhas,
nessa época você já falava alguma coisa comigo do tipo “oi” se eu estivesse com algum dos
nossos amigos em comum, mais nunca deixava de dar aquela olhadinha para os meus pés (eu
notava). E os nossos diálogos eram nada proveitosos, tipo: Oi, licença, me empresta a flanela e
tals...  Mais foram progredindo para: Ei menina, amanhã tem balanço. Até que começamos a
sair com a galera pra farra, e só pra constar aqui nesse tempo já havia sido proibido as minhas
sapatilhas agora era tênis. Enfim nos tornamos amigos quando botas bicos de aço viraram lei
na loja e eu precisa compartilhar com todo mundo o meu sofrimento, e o mais engraçado é
que todo mundo usava a mesma bota, mais a minha parecia ser de outro mundo, porque os
comentários sobre minha bota pairavam por toda loja RS RS . E dessa vez foi você quem se
acostumou a estar presente durante os comentários desnecessários sobre, e eu acho que foi
que você passou a ser amigo, me defendia   -Deixa a boy mermão!!!!  (as pessoas me
contavam kkkk). E foi se estreitando a amizade e as discussões, cara, como é que a gente
consegue brigar tanto? Até hoje é assim.
Daniel P. de Lima Júnior, qual era seu problema com meus sapatos hein? Pode tratar de me
contar porque com certeza tem algo haver...  
Esse não é exatamente um texto de feliz aniversário, porque você sabe que desejo que você
seja feliz o tempo inteiro, é mais um texto pra você saber que eu me lembro de tudo e vou
usar isso contra você no tribunal rs. Agora somos cristãos e você já não implica mais assim com
meus sapatos, nem com o fato de eu ser mega fissurada em cor de rosa, até me abençoou com
uma Bíblia da mulher dessa cor o único detalhe é que Jane e eu quase que te abrigamos a
assinar nela porque você tava com muiiiita vergonha... Em fim é muita história pra contar, mais
eu não mudaria nada ela é legal assim... Se bem que você poderia ter pegado mais leve nas
cortadas que me dava RS. Desejo-te muitas e muitas primaveras de bênçãos, e espero poder
compartilhar desse dia sempre com você, mesmo que de longe...

Nós poderíamos ter sido... Hoje eu realmente acredito nisso, Mais nada é por acaso temos um pai que de tudo sabe, então só nos resta aceitar nossa sentença(e foi o que fizemos né?) e seguirmos com as nossas vidas até que seja o que Deus quiser e como eu já te falei, se for parte do nosso destino nos encontrar de novo... que assim seja.    Feliz aniversário

Postagens mais visitadas deste blog

Encontro com Deus

Sobre Recuar

Uma dor que dilacera a alma Endometriose.